Governo de SP lança programa para capacitar exportadores – StartUps, Serviços – Micro e pequenas empresas

Exporta SP vai qualificar 150 empresas já em 2020, com meta de chegar a 1.200 até 2023; startups e setor de serviços são alvos do projeto

a group of professionals sharing ideas

Fonte: Governo de SP.

O Governador João Doria lançou nesta quinta-feira (30) o Exporta SP – Programa Paulista de Capacitação para Exportações, que vai preparar empresas de micro, pequeno e médio portes para acessar o mercado internacional.

A meta do projeto é qualificar 150 empresas este ano e chegar a 1.200 até 2023, fazendo com que um número maior de companhias passe a exportar os produtos de origem paulista. O programa é coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico em parceria com a InvestSP.

“Os resultados que obtivemos ao longo de 2019 validam todo esforço que estamos fazendo agora em 2020. No ano passado ainda haviam expectativas sobre o desempenho da economia de São Paulo. E, ao termino de 2019, da expectativa passamos a certeza. Os dados do Ipea demonstram que a economia de São Paulo cresceu mais de duas vezes e meia que a do país”, comentou o Governador João Doria.

“Uma visão liberal de governo, políticas públicas claras, programas de capitação de investimentos externos, desenvolvimento econômico com políticas corretas, desoneração fiscal sem guerra fiscal”, listou Doria sobre medidas tomadas nessa gestão.

O Exporta SP será o maior programa de capacitação para exportações já executado no Estado, incluindo pela primeira vez startups e o setor de serviços em seu escopo de atuação. Poderão participar micro, pequenas e médias empresas que ainda não exportam ou que já atuam no comércio internacional e queiram expandir seus mercados.

“Esse programa é um meio para que o crescimento econômico se torne prioridade em São Paulo. Das empresas que exportam hoje no Brasil, 45% delas são de São Paulo. E temos potencial para muito mais, 63% dos municípios paulistas possuem registro para exportação, contudo o volume de exportação está concentrado em 10% dos municípios”, comentou Patricia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico. “Temos compromisso em potencializar a exportação de alta qualidade e fazer com que São Paulo seja uma porta para a América Latina e para o mundo”.

São Paulo tem hoje 10 mil empresas que já mantêm algum tipo de relação comercial com outros países, sendo que 98% são micro, pequenas e médias empresas. Sendo que 18% delas encerram as atividades após o primeiro ano. O Programa irá capacitar essas empresas para exportar, aumentando a competitividade, visando reduzir a taxa de mortalidade.

“Essa iniciativa do Estado de SP lançando hoje o programa Exporta SP é de fundamental importância. O setor de máquinas e equipamentos é o setor da indústria de transformação que mais exporta no Brasil, 60% da produção está no Estado de SP. Nós exportamos para vários países, são pequenas e médias empresas exportando 40% do faturamento de máquinas e equipamentos. É uma grande iniciativa para melhorar o emprego e renda no Estado de SP”, disse o Presidente Executivo da Abimaq, José Velloso.

Funcionamento

O novo programa prevê a descentralização dos serviços de exportação do Estado, ainda muito concentrado na capital. A capacitação terá duração de 5 meses por turma e abordará temas que mais desafiam os empresários no processo de internacionalização de produtos e serviços. Conteúdos sobre inteligência comercial, formação de preços, adequação de produtos e serviços, planos de negócios, marketing e vendas serão ministrados por especialistas da Fundação Instituto de Administração.

Para participar, as empresas precisarão se cadastrar no site da InvestSP e passar por processo seletivo que avaliará o atual estágio para acesso ao mercado externo. Depois, a empresa receberá a visita de um consultor que irá prepará-la para cumprir todas as etapas do treinamento.

Ao longo do projeto, o empreendedor terá aulas presenciais e acesso à plataforma online de conteúdo chamado AVA (Ambiente Virtual de Aula), que utiliza o modelo Canvas, a ferramenta mais utilizada atualmente para planejamento de negócios. Também serão realizados workshops regionais, que auxiliarão os participantes a construir uma rede de contatos de empresários que buscam a inserção no mercado internacional.

“O setor têxtil de confecção do Estado de SP representa 500 mil empregos diretos gerados em SP, é um terço dos empregos em todo o Brasil. O programa Exporta SP vem complementar a necessidade de atingir pequenas e medias empresas fomentando as exportações dos nossos produtos que não perdem em qualidade para nenhum país do mundo. Parabéns ao Governo do Estado de SP, ao Governador João Doria e toda sua equipe por mais essa importante iniciativa”, destacou o presidente do Sinditêxtil-SP, Luiz Arthur Pacheco.

Após o treinamento, as empresas continuarão sendo monitoradas pela InvestSP. A fase de acompanhamento terá duração de dois anos. Nesse período, serão feitos diagnósticos semestrais para verificar se o plano de ação elaborado durante a capacitação está sendo implementado corretamente. Outra vantagem para as empresas é manter o acesso aos parceiros da InvestSP, que facilitam o contato dos empresários com compradores de outros países.